• Matheus Miranda Basile

Collbusiness News Entrevista

Atualizado: 14 de mar.


CollbusinesNews Entrevista - Eduardo Tambellini, coordenador editorial e coautor do livro O Mercado de Cobrança e Recuperação de Crédito – Hoje, Ontem e Amanhã.


CollbusinessNews: Tambellini, Você lançou ao final de 2021 o livro, O Mercado de Cobrança e Recuperação de Crédito – Ontem, Hoje e Amanhã e tem feitos diversos Webinars sobre o tema cobrança, conte-nos um pouco sobre o novo livro.

Eduardo Tambellini: Sim, muito obrigado pela oportunidade de falar um pouco sobre o livro. Este é meu segundo livro e foi um trabalho muito interessante, pois este livro não é só meu, é um livro que reuni 24 executivos para escrever comigo.

CollbusinessNews: E como foi essa saga de reunir 24 profissionais do mercado e coordenar cada um?

Eduardo Tambellini: Bem quando me deram a ideia de ser um livro com convidados, pensei, de quem eu e o mercado lembra quando pensamos em cobrança. Aí comecei a fazer os convites. Fiz o convite a 28 executivos e destes 24 aceitaram. Começamos as conversas em julho e ao final de setembro estávamos com o material pronto pra envio a editora.

CollbusinessNews: Como foi o processo de distribuição dos coautores por capítulos?

Eduardo Tambellini: Foi supertranquilo, na verdade montei a lista dos capítulos antes de convidar, e ai já pensei quem iria se dedicar a cada tema. É claro que dei a liberdade de cada coautor escolher também onde gostaria de participar.

CollbusinessNews: Em seu primeiro livro, Histórias de Cobrança, você conta histórias sobre momentos de sua carreira, qual a diferença entre este livro e o novo?


Eduardo Tambellini: Em Histórias de Cobrança, conforme você relatou, conto inúmeras histórias e cases de sucesso e falo de coisas que não deram muito certo. Faz parte da vida, nem sempre colhemos só boas frutas, só erra quem está dedicado a fazer! E os erros sempre devem servir de aprendizados. Enfim, em histórias de cobrança procurei abordar todas as etapas da cobrança com minhas experiências. Em meu novo livro busquei novamente abordar todos os temas que envolvem a cobrança, porém com uma visão da transformação ocorrida nos últimos 30 anos que vivi na área e principalmente trazendo outras visões de profissionais renomados na área.

CollbusinessNews: Você caminha para 30 anos de carreira. Conte um pouco sobre sua trajetória para incentivar os que estão começando neste mercado?


Eduardo Tambellini: Muito bom, comecei a trabalhar com 15 anos como office boy, costumo dizer que o office boy naquela época era um motoboy sem moto. Quando falei que ia começar a trabalhar, minha mãe se espantou, pois tínhamos uma condição favorável, porém quis iniciar minha vida profissional, ter o meu dinheiro. Logo comecei a trabalhar em um banco como contínuo e em passei por outra empresa até que com 21 anos comecei a trabalhar com crédito, como analista júnior. Uma mega oportunidade de fazer o processo de crédito, época tudo manual, conto isso nos meus livros. Em 4 anos nesta empresa agreguei as atividades de crédito a área de cobrança e a partir daí me apaixonei por cobrança. Minha primeira experiência gerencial foi na antiga Fininvest onde aprendi muito!!! Depois disso passei pelo setor de Telecom, bancário, de serviço até que me tornei sócio da GoOn que em 2018 foi adquirida pela FICO onde estou até hoje. Em minha carreira sempre tive muito claro aonde queria chegar, em um caminho profissional você deve tomar decisões. Tomar decisão é uma arte, mas decidido, decidido está e aí bola pra frente. Vejo que tudo que passei, experiências, boas, ruins, fizeram parte do meu caminho que me trouxe até aqui. Nada, nem a pior das experiências é perdida. Tudo sempre para que você possa estar constantemente evoluindo.


CollbusinessNews: Muito bom, obrigado por compartilhar. Para encerrar conte pra gente como você visualiza o mercado de cobrança no decorrer do ano de 2022?


Eduardo Tambellini: Desde o início da pandemia vimos acompanhando mês a mês os indicadores de cobrança com atenção imaginando que teríamos um grande problema. Ao contrário do que se esperava a inadimplência em 2020 e 2021 foi a menor dos últimos 10 anos. Muito disso pelo foco das empresas no refinanciamento de débitos e sem dúvida pelos programas criados pelo governo como o bolsa família e o PRONAMPE para empresas. Os primeiros indicadores de Jan/22 mostram números superiores aos anos de 20 e 21. Farol amarelo acesso novamente. Se os indicadores vão efetivamente piorar, o tempo dirá. De qualquer forma vale as recomendações de olharmos com atenção para nossa estrutura e principalmente as políticas de cobrança. Com sempre digo o consumidor inadimplente não é o picareta, ele precisa de ajuda, e o papel da cobrança é de apoiar o cliente para que ele possa retomar sua dignidade e continuar gerando receitas.


42 visualizações