• Matheus Miranda Basile

MARCO LEGAL COM O EMPODERAMENTO DOS SUPERENDIVIDADOS - AS COBRARTECHS.


Desde os tempos do COBRADOR DE FRAQUE, atuando a serviço dos CREDORES para constrangê-los e os constringir ao pagamento de suas dívidas, o sujeito ativo de uma operação de crédito inadimplida sempre foi o credor, geralmente representado pelos operadores de empresas de cobrança e de recuperação de créditos.

Com as transformações pelas quais tem passado nossa sociedade (de cada três brasileiros dois estão superendividados), com a promulgação da recente Lei nº 14.181/2.021 (Marco Legal da Inadimplência, a qual altera o CPDC), o polo ativo da relação antes mencionada começa a mudar de mãos e, agora, o devedor (pessoa natural ou física) de muitos credores (o superendividado) poderá convocá-los judicialmente para negociar.

Este novo protagonismo do devedor superendividado criou para as empresas de cobrança, com viés tecnológico (as COBRARTECHS), oportunidade única de exercerem uma "missão social", sem renúncia à sua lucratividade, tanto que estas empresas, que resolvem problemas coletivos de impacto social, estão entrando no radar dos investidores institucionais, os quais podem proporcionar-lhes, inclusive, a oportunidade de atuar como verdadeiras empresas BIG DATA.

É o sinal do evoluir dos tempos.

Artigo criado por Prof. Pós Doc LUIZ FELIZARDO BARROSO

Presidente da COBRART Gestão de Ativos

Titular da ADVOCACIA FELIZARDO BARROSO & ASSOCIADOS

Membro da ACADEMIA FLUMINENSE DE LETRAS

44 visualizações